GTD For Teens

Hoje é o lançamento mundial do livro “GTD For Teens” – um livro de GTD escrito para adolescentes. O livro está sendo lançado apenas em inglês por enquanto e você pode comprar o seu pelo site da Amazon clicando aqui.

Quantas vezes você já não disse a frase: “Caramba, quem dera eu tivesse aprendido GTD quando eu estivesse na escola?” Pois é – essa foi a motivação para escrever esse livro, que tem como autores não apenas o próprio David Allen, como também Mike Williams (ex-CEO da David Allen Company) e Mark Wallace.

O livro promete trazer o GTD para uma linguagem mais acessível aos jovens, principalmente aqueles que enfrentam problemas com déficit de atenção e falta de foco (para falar a verdade, acredito sinceramente que sirva para todos nós!).

Ainda não tive a oportunidade de ler o livro inteiro, mas pelo que já vi de esboços anteriores, parece um livro incrível, com uma linguagem muito acessível, didática e com ilustrações. Eu pretendo ler e “usar” (no melhor sentido possível) meu filho e sobrinhas para um laboratório e ir compartilhando com vocês o resultado desse processo. Quando isso acontecer, compartilharei aqui.

Pretendemos organizar uma série de ações e conteúdos com relação a esse assunto, além de incentivar de perto a editora brasileira para sua publicação em português o mais breve possível. Se você tiver interesse nisso, por favor, deixe um comentário. Essa é a melhor maneira de saber que você está lendo e acompanhando com interesse o trabalho que fazemos. <3

Siga @gtdforteens nas diversas redes sociais e use a hashtag #gtdforteens para encontrar e compartilhar conteúdo relacionado ao livro.

(Vídeos) O sistema do David Allen

Em 2017, o Daniel Burd (da Call Daniel, franquia brasileira do método GTD) teve a oportunidade de ir até a casa do David Allen (criador do método) e gravar um pouquinho com o David falando sobre o seu sistema e espaço de trabalho físico.

Os vídeos foram legendados e você confere esse excepcional trabalho abaixo ou acessando o canal da Call Daniel no YouTube.

Deixe um comentário dizendo o que achou! Obrigada.

Curso de GTD Nível 2: Projetos & Prioridades em Porto Alegre – 7 de abril

Data: 7 de abril de 2018 (sábado)
Horário: das 9h às 18h
Local: Comfort (Centro antigo)

O curso de Projetos & Prioridades é um curso para quem já é familiarizado com o GTD e quer avançar em direção ao planejamento de projetos, gerenciamento de prioridades e horizontes mais elevados!

O que você vai aprender nesse curso:

  • Como capturar e refinar uma lista completa com todos os seus projetos, garantindo que você tenha um inventário deles
  • Desenvolver prioridades através do modelo de Horizontes de Foco, com ênfase especial nas áreas de foco tanto pessoal quanto profissional
  • Desenvolver controle, foco e ideias criativas com seus projetos usando o Modelo de Planejamento Natural, que inclui:
    • A definição de propósito e princípios que guiarão os seus projetos
    • Esclarecer o resultado desejado
    • Aprender a fazer um brainstorm de ideias
    • Organizar detalhes dos projetos
    • Executar as próximas ações
  • Construir um sistema de gerenciamento integrado da vida

Materiais que você vai receber:

  • Apostila do curso
  • Livreto “Pontapé inicial” para trabalhar o seu sistema
  • Folhas para brainstorm
  • Certificado

Valor

O curso custa R$1.000 à vista (via transferência bancária) ou R$1.200 (boleto ou parcelamento via PagSeguro).

Para se inscrever, escreva para thais.godinho@calldaniel.com.br

A inscrição no curso inclui:

  • Curso presencial com 8 horas de duração
  • 3 sessões online de aprofundamento depois do curso:
    • Áreas de foco (2 horas)
    • Inventário completo de projetos (2 horas)
    • Modelo de Planejamento Natural (2 horas)

Pré-requisitos

É recomendável que o participante tenha feito o curso de Nível 1: Fundamentos, pois assim terá recebido uma boa base para continuar com seu GTD. Porém, se você já se considera experiente na metodologia e sente que precisa aprofundar na parte de projetos, certamente este curso é para você. Se tiver dúvidas, deixe um comentário neste post!

Veja o vídeo abaixo oficial (em inglês) do curso de GTD: Projetos & Prioridades:

Level 2: Projects and Priorities Preview from GTD on Vimeo.

Política de cancelamento

Caso a turma não alcance o número mínimo de 12 pessoas para sua realização, a turma será cancelada e os valores de inscrição serão devolvidos. Caso haja necessidade de cancelamento, se você o fizer até 15 dias antes da turma, você será reembolsado em 100%. Após esse prazo, já teremos custeado passagens e locação do espaço, e não podemos devolver o valor integral. De 14 a 7 dias antes do curso, o cancelamento dará direito a um reembolso de 50% do valor integral. De 6 a 1 dia antes, restituímos 25% do valor. A não presença no dia do curso ocasionará a perda de 100% do valor. Caso não possa participar do curso, nossa recomendação é enviar outra pessoa em seu lugar, para que você não perca o valor. Obrigada!

A rotina matinal do David Allen

Recentemente a Next Action (franquia inglesa do método GTD) publicou um vídeo em seu canal onde o David descrevia, em poucos minutos, como é a sua rotina matinal. Eu já tinha ouvido isso em algum momento, nos últimos anos, porque me lembro de começar a fazer um ritual semelhante já há algum tempo, inspirada nele. E quis trazer para cá porque acho que ele traz um ponto muito, muito legal que eu gostaria de comentar.

Primeiro ele comenta que o que faz a manhã dele ser tranquila é começar a organização na noite anterior. Pela manhã, ele tem uns rituaizinhos, como beber água morna com limão, uma bebida proteíca, ler o jornal, uma revista, responder pessoas que estão em outro fuso horário e então sair com a cachorrinha para passear.

Mas, para mim, o grande ponto que ele comenta é sobre não ter agendamentos ou compromissos engessados, sempre que a rotina permite, pois ele gosta de escolher espontaneamente aquilo que está chamando mais a sua atenção. Eu acho isso bacana porque tira um pouco aquela ideia de o “não planejado” ser sempre algo “ruim”, imprevisto, urgente, e sim traz mais a ideia de espontaneidade e possibilidade de escolha. Se você tem um dia cheio de prazos (auto-imposto ou não), você tira essa espontaneidade.

Enfim, um bom vídeo, curto, para quem entende inglês, e com pontos interessantes para aplicarmos na nossa vida, usando o GTD.

Meu sistema GTD atual no Evernote (Janeiro 2018)

Sem delongas, meu setup atual:

Tenho um caderno padrão chamado “! Entrada”. (1) Caderno padrão é uma configuração do Evernote onde você escolhe o caderno para onde entrarão todas as notas que você enviar para o programa. (2) O “!” e qualquer outro caractere especial que você verá no nome dos cadernos e das pilhas existe para deixar os cadernos e as pilhas na ordem que eu quero.

Tenho uma pilha chamada “Próximas Ações”, que é a única coisa que eu olho diariamente, além do calendário (agenda do Google), e dentro tenho um caderno para cada contexto.

Tenho uma pilha para “Projetos” e, dentro, cadernos por categorias. As categorias mudam com bastante frequência, de acordo com a minha necessidade de visualização de projetos. Basta arrastar as notas de um para o outro para mudar. Cada nota é um projeto.

A pilha seguinte é de cadernos de “Suporte a projetos”. Crio sempre que um projeto precisa de um caderno próprio para ele, para agrupar documentos e notas relacionadas.

Depois tenho uma pilha para “Algum dia / talvez”.

Na sequência, os horizontes mais elevados:

Depois, referências de maneira geral. Algumas coisas deixo em cadernos (basicamente pelo acesso ser mais fácil). Os assuntos das referências ficam nas etiquetas, sem hierarquia (ordem alfabética).

Procuro seguir as orientações básica da DAC para configuração no Evernote.

Por que eu escolhi o Evernote para gerenciar as minhas listas do GTD

A escolha de uma ferramenta é muito pessoal. Por sorte, existem dezenas de opções incríveis no mercado que nos permitem escolher aquilo que nos agrada mais e nos atende melhor em cada momento da nossa vida.

Eu já uso o Evernote mais ou menos desde 2012 ou 2013. Em 2013, acredito que tenha passado a usar com mais consistência, e efetivamente fiz a migração do meu sistema GTD para ele em 2014. Em 2015, conheci o Todoist, outra ferramenta incrível, e fiz a migração, sempre buscando conciliar as duas.

Ao longo de 2017, fiquei alternando entre uma e outra, tentando me decidir de vez qual seria a melhor para mim. Ambas são ótimas. Ambas também têm suas características próprias, prós e contras.

Em agosto do ano passado, escrevi o seguinte em um post no meu outro blog (Vida Organizada):

“Queria dizer que não existe muito motivo para uma pessoa migrar de ferramenta. No meu caso, às vezes simplesmente dá vontade. Canso da cara de um aplicativo e quero testar outro. Foi mais ou menos o que aconteceu com o Todoist. Eu já estava usando a ferramenta há quase três anos e enjoei um pouco. Porém, vou ser sincera: não há um dia que passe que eu não sinta saudade de todas as funcionalidades do Todoist. Ainda acho que é uma das melhores ferramentas para ser utilizada por quem usa e por quem não usa o método GTD.”

Hoje, alguns bons meses depois, posso dizer que concordo com tudo o que escrevi acima, porém já não sinto falta das funcionalidades do Todoist que eu citei. Essa saudade foi boa, me gerou uma recaída, voltei para o Todoist, mas não rolou. Por fim, no final do ano, quando fiz a reinstalação anual do meu sistema (confira a série aqui), eu acabei optando pelo Evernote porque me atende melhor. Simples assim.

Os motivos que escrevi naquele post continuam sendo os mesmos que me fizeram querer voltar para a ferramenta:

  1. A versão instalada do Evernote me passa mais segurança que a versão instalada do Todoist (no Macbook). Pode ser algum bug para Macbook que até já pode ter sido consertado, mas às vezes eu acessava o Todoist offline em meu computador, e ele não abria. Nos computadores com Windows, ele abria normalmente (mas não uso computador com Windows). Então isso me chateava um pouco. Pode ser que eles já tenham consertado…
  2. Gosto muito da possibilidade de você inserir qualquer formato de informação dentro de uma nota do Evernote. Por exemplo: outro dia tirei uma foto com o celular de um produto em uma revista, que fiquei a fim de pesquisar mais a respeito. Essa nota no Evernote foi processada muito facilmente e fica claro para mim, ao acessá-la, do que se trata, porque a fotinho está ali. Você pode me dizer que no Todoist também dá para salvar anexos (e dá), mas a visualização é diferente. Eu sou uma pessoa essencialmente visual e essa variedade de visualizações faz diferença para mim.

Além de qualquer motivo racional, gosto do Evernote. E é importante gostar da ferramenta, já que você usá-la MUITO todos os dias. E é isso. 🙂

Ferramentas que eu utilizo para o meu sistema GTD atual (Janeiro 2018)

No post de hoje, gostaria de mostrar as ferramentas que tenho usado para o meu sistema atual no GTD.

Google Calendar

Já uso a agenda do Google para calendário há muitos anos. Por mais que tente usar outras ferramentas para essa mesma finalidade, eu não consigo mudar. Gosto das funcionalidades, do visual e do poder de sincronização em vários dispositivos.

Evernote

Depois de passar um ano inteiro em dúvida sobre ficar no Todoist (que ainda gosto) ou no Evernote, migrei em definitivo todas as minhas listas para o Evernote. Não existem muitos motivos práticos para isso – foi mais gosto pessoal. No final das contas, acredito que o Evernote seja mais “parrudo” para o meu uso diário de todas as informações.

Google Drive

Uso bastante o Google Drive para arquivos de referência, especialmente pela facilidade de edição em planilhas e documentos e compartilhamentos. Para referência, também utilizo o Evernote (essencialmente com etiquetas, como mostrarei em um post em breve), Dropbox e pastas físicas para armazenar papel (além de livros, cadernos e outros materiais de referência).

Mind Meister

O Mind Meister é uma ferramenta para mapas mentais. Gosto de fazer mapas no papel, mas nessa ferramenta eles também me ajudam muito. Eles servem para referência, para planejamento e para suporte.

Em outro post ainda esta semana, vou mostrar detalhes de cada uma das ferramentas. O propósito deste post de hoje foi apenas mostrar o que estou usando atualmente.

Ferramentas mais comuns utilizadas para o GTD

David Allen diz que, para usarmos o GTD, basta termos listas e pastas. Então, na verdade, basta que você conheça o método GTD, conheça a estrutura básica que pode ser criada em qualquer ferramenta, e aí pode usar o que gostar mais. De qualquer maneira, neste post vou trazer as ferramentas que são mais comumente usadas para implementar o GTD, para fins de referência. Espero que ajude!

Gerenciadores de listas

  • Evernote
  • Google Apps
  • Todoist
  • Wunderlist
  • Toodledo
  • IBM Lotus Notes
  • Lembretes do iPhone
  • Remember the milk
  • Trello
  • OmniFocus
  • Things
  • Any.do
  • Facile Things
  • Microsoft One Note
  • Microsoft Outlook
  • Cadernos e fichários

Ferramentas de captura

  • Papel e caneta
  • Evernote
  • Caixa de entrada do Todoist
  • Microsoft One Note
  • Brain Toss

Ferramentas para brainstorm

  • Mind Meister
  • Free Mind
  • The Brain
  • Personal Brain
  • Mind Manager

Caso você use uma ferramenta diferente, deixe um comentário neste post. 😉

Essas são as ferramentas que mais comumente vemos as pessoas usarem. Não são, de maneira alguma, as ferramentas consideradas melhores ou indicadas pela David Allen Company. Ferramentas são pessoais, e você deve usar aquilo que gostar mais ou que se adaptar melhor às suas necessidades, por isso não existe “a melhor ferramenta” para o GTD.

Dicas para quem está começando no GTD

Se você fez o curso dos Fundamentos, iniciou a instalação pela série ou está começando sozinho, este é um post com algumas dicas adicionais que podem complementar o seu uso da metodologia.

  • Alguns princípios são super chave na metodologia e você pode aplicar de imediato, e são básicos: ter uma caixa de entrada na sua mesa, usar a Regra dos 2 Minutos, aprender como esclarecer o que você captura, criar uma lista de Assuntos a Tratar. Tudo isso, de cara, vai ter um impacto enorme na sua produtividade.
  • Escolha as ferramentas iniciais e teste-as durante um tempo. Não fique toda hora mudando de ferramenta! Isso vai te atrapalhar muito!
  • Integre o GTD tanto na sua vida pessoal quanto na vida profissional. Não adianta fazer em só uma das duas!
  • Exercite o hábito de capturar as coisas quando vierem à sua mente, sempre que se lembrar de algo que precisa fazer ou não pode esquecer. Não fique “segurando” as coisas na mente.
  • Comece a ser mais criterioso(a) sobre o que entra na sua vida ou não, evitando deixar entrar coisas que você nem quer, em primeiro lugar. A vida é curta.
  • Organize seu espaço de trabalho. Faz muita diferença ter uma mesa com caixa de entrada e suprimentos que te apoiem no dia a dia, sem ter que precisar levantar para pegar uma caneta ou deixar de arquivar algo apenas porque não tem pasta suficiente.
  • Trabalhe para ter um bom sistema de referência pessoal sempre, que te servirá como consulta. Isso é algo contínuo, que sempre poderá ser melhorado.
  • Releia o livro do GTD a cada 3 ou 4 meses. Novos aprendizados e percepções surgirão. Lembre-se: é uma habilidade para toda a vida.

PLUS -Se você fez o curso

  • Vale a pena instalar as ferramentas em no máximo duas semanas depois do curso, para você aproveitar as informações que estão fresquinhas na sua mente.
  • Esclareça tudo o que restou no seu livreto do Pontapé Inicial, do dia do curso.
  • Fique em contato com outros participantes para troca de ideias e experiências.